Notícias

19/11/2015 10h50
Casal desenvolve protetor para calçados de motociclistas

Roberto pilota motos desde a adolescência e sempre sofreu com os calçados desgastados pelo contato com o pedal de marcha dos veículos. Em 2013, de maneira improvisada, criou um protetor caseiro para tentar resolver o problema e se surpreendeu com a reação dos amigos, que pediram os protetores também. Com o desejo antigo de montar o próprio negócio, ele e sua mulher decidiram investir o dinheiro de uma poupança para criar uma empresa destinada a desenvolver soluções práticas para o dia-a-dia, entre elas essa destinada a quem pilota motos.

“Nós percebemos que esse era um problema de todos os motociclistas. Alguns colocavam uma meia de algodão por cima do calçado, outros papel filme de cozinha para cobrir a área, mas nada adiantava. Eu cansei de brigar com meu marido porque ele sempre usava sapatos novos para pilotar e acabava detonando”, diz a esposa. Além de ser um protetor para os calçados, a empreendedora explica que o produto é um item de segurança. “Para não estragar os calçados, os motoristas acabam trocando a marcha com o calcanhar, mas isso causa acidentes gravíssimos”.

Sem experiência com empreendedorismo, o casal se dividiu para dar conta de todas as tarefas e tirar a ideia do papel. “Meu marido é responsável pelas vendas e ele foi a todas as lojas para apresentar o produto, e como não existia nada desse tipo, nem os lojistas e nem os consumidores conheciam”, afirma.

No início de 2014, o casal lançou a primeira linha do Motopé, em diferentes tamanhos e cores, e colocaram à venda em lojas da área. Entretanto, o produto não teve boa aceitação no mercado, e em outubro de 2014, eles remodelaram o protetor. Para chegar ao formato ideal, foram feitas pesquisas de material, de design, peças de funcionalidade e de mercado. No total, foi investido cerca de R$ 150 mil até lançarem a segunda linha do produto, em outubro do ano passado, emborrachado e em tamanho único.

Presente em mais de 120 lojas da região metropolitana de Belo Horizonte, eles querem expandir as vendas. “Já temos contatos para disponibilizar o produto em São Paulo e em outros estados. Nossa previsão de faturamento para 2016 é de R$ 34 mil por mês”, diz a empreendedora.

Segundo a mineira, o próximo passo da empresa é lançar outros acessórios focados no mercado de motociclistas, que já representam quase 24 milhões no país de acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas. “Estamos desenvolvendo um protetor para cerol. Um produto diferenciado que proteja a frente e a lateral dos motociclistas, diferentes dos que existem no mercado”, diz.

(Fonte: PEGN – Foto: Divulgação)